NATAL DESCONFI(N)ADO – FECHAR 2020

O ano de 2020 está a acabar e o natal chegou. 2020 foi um tremendo murro no estômago para todos, incluindo no mundo das viagens. Voos marcados, planos feitos, tours comprados, lonely planets devorados, destinos sonhados e, afinal… Ficámos quase todos em casa.

Nós tivemos muita sorte, em janeiro fomos a Bilbau, em fevereiro à Suíça e em março ainda conseguimos ir ao Reino Unido. No entanto, tínhamos planos para o resto do ano que foram por água abaixo.

Primeiro vimos chegar a primeira vaga, com a Raquel a trabalhar no hospital, depois vimos as coisas acalmarem e em junho saímos para explorar Portugal. Posteriormente chegou a segunda vaga, já com a Raquel em casa e o Tiago quase só em teletrabalho, e ficou decidido que íamos focar-nos em ficar o máximo de tempo em casa.

Perdemos reservas pelos sucessivos estados de emergência, mas mantivemos o nosso conhecimento de serviços de streaming no máximo. (Querem dicas?)

Talvez em novembro tenha começado aquela ansiedade, ainda ao de leve, sobre o natal. Íamos conseguir estar com a família? Fazia sentido planear o natal como habitualmente? A malta casada provavelmente vai-se identificar connosco, somos daqueles que dividem o natal entre família de um e do outro. Nos dois lados temos doentes de risco e a viagem entre os dois lados não envolve só uma mudança de concelho. Numa das vezes em que o Primeiro Ministro falou ao país deixou quase claro que estaríamos em estado de emergência durante o natal, por isso começámos a mentalizar-nos que era possível passar o natal a dois (quase três).

Sabemos que para muitos as medidas de contingência são vistas como um exagero, e lamentamos, mas nós discordamos. Talvez porque temos um elemento de casa que teve que entrar dentro de enfermarias, urgências e cuidados intensivos com doentes infectados. Talvez porque sabemos que os recursos materiais e principalmente os recursos humanos do SNS são limitados e a única forma de não os sobrecarregar é mudar a atitude na rua.

feliz natal

O natal até pode ser confinado no lar, não pode ser é desconfiado de tudo e todos. Muita gente perdeu familiares este ano, para muitos de nós é no natal que se junta toda a gente, mas estar saudável já é uma benção, ou uma sorte, se preferirem. Talvez por termos vivido longe da família alguns anos, e nem sempre termos vindo no natal, sabemos que ter de estar separado não significa amar menos ou importar menos.

Se tiverem de ficar afastados, pensem que é para um bem maior, porque todas as vidas interessam. Há telefones, WhatsApp, Skype, wifi 4G e até correios, para quem preferir o método antigo. O que importa é mostrar aos nossos que estão no nosso coração, nem que seja em abraços virtuais. Se o natal para vocês também passa pelas prendas, podem sempre comprar pela internet e mandar entregar no destinatário, embrulhado. Se o natal para vocês é família, lembrem-se que maior que o drama de estarem separados é a alegria de ter uma família.

Feliz natal para os nossos leitores. Desejamos que se mantenham todos saudáveis e que as nossas viagens vos continuem a inspirar. Voltaremos a viajar.

Spread the love

365 DIAS NO MUNDO

Somos um casal de viajantes com uma lista de viagens por realizar que está sempre a crescer. Juntos viajamos para conhecer a história, a cultura, as pessoas e a gastronomia de outros lugares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: