O QUE FAZER EM BOGOTÁ (COLÔMBIA)

Bogotá Graffiti Tour

Para os amantes de street art, este tour é para vocês. É preciso reservar no site. Nós começámos um tour, vimos graffitis muito interessantes, mas não é uma área que dominemos. O tour é apresentado por artistas que falam das obras, do autor e um bocadinho da história da street art na cidade. A meio do tour começou a chover torrencialmente e ao fim de meia hora presos numa pequena loja sobrelotada decidimos desistir e apanhar o táxi para o alojamento. Os tours são em inglês, duram 2h30 e o ponto de encontro é no Parque de los Periodistas. Há várias técnicas e vários artistas em foco no tour, desde um australiano que coloca máscaras nas paredes (não são desenhos, são uma espécie de esculturas), pai e filhos que trabalham juntos, um professor universitário que usa stensil e muitos outros. A mensagem, na sua maioria, é política.

GOPR9812

GOPR9815

DSC_1789

A história mais famosa com os graffitis é terem permitido a Justin Bieber grafitar uma parede, onde ele tentou (mas não foi muito capaz) fazer uma folha de marijuana e uma homenagem ao seu hamster morto. Enquanto que aos artistas locais sempre foram confiscados os materiais e alguns passaram noites na cadeia, ao artista canadiano nada aconteceu. Este caso, em 2013, criou polémica e revolta, e fez com que houvesse abertura para a verdadeira street art nas cidades colombianas.

Free Walking Tour

Nós fizemos o tour com a Beyond Colombia e reservámos no site. A guia era muito simpática e conhecia Portugal. O incrível era que tinha estado no Porto o ano passado e lembrava-se bem dos incêndios e da cinza na região. Mal sabíamos nós que uma semana depois haveria incêndios bem piores (Pedrógão Grande). O tour, no fim, fornece pulseiras que dão acesso a descontos em vários locais da cidade. Deram-nos muitas dicas de restaurantes e coisas para fazer. O tour dura 3h, pode ser em inglês ou espanhol, e o ponto de encontro é no Museo del Oro. É só procurar o guarda chuva vermelho. Também fazem tours gastronómicos grátis e outros pagos, como à Catedral de Sal, é só ver no site.

tour bogota

tour bogota2

Tours Minas de Esmeraldas

Colombian Emerald Tour – Visita a Chivor, cidade onde ficam as minas de esmeraldas. Permite experimentar ser um verdadeiro mineiro, recebendo material e informação técnica para experimentar. É um tour de dia inteiro que inclui pequeno-almoço, almoço e snack, guia bilingue, transporte e seguro. Ficámos espantados com o preço: 1.600.000COP + 19% de impostos para 2 pessoas (470€). Encontrámos outros mais baratos, se conseguíssemos chegar até Chivor, mas não tivemos tempo.

Sendero verde Esmeralda – Tour semelhante ao de cima, mas com início em Chivor. Realiza-se de segunda a sábado e dura todo o dia. Não sabemos o preço, mas faz parte de um projeto de desenvolvimento e integração da população, o GAL Vallentenzano. Deduzimos que seja mais barato, que envolva mais a população local e que seja sustentável, sendo sempre mais vantajoso e correto alimentar a economia local em vez de grandes grupos turísticos. Contactos: 3143824901 (Hugo) / 3142082060 (Sonia)

Museo del Oro

O museu do Banco de la República não expõe só peças de ouro, mas também cerâmica, pedra, joalharia. Trabalha para preservar, catalogar e dar a conhecer a cultura do país. A sua missão é preservar a identidade dos colombianos. Nós tivemos a sorte ou azar de ir em dia de visita escolar. Se, por um lado, tínhamos as vitrines cobertas de crianças a tirar selfies, por outro, o ambiente era bastante animado. Abre de terça a domingo. De terça a sábado a entrada custa 4.000COP (1,2€) e ao domingo é grátis, podem consultar o site. O museu tem mais de 3000 peças, sendo a peça chave deste museu a “Balsa de El Dorado” encontrada numa gruta, dentro de um vaso, em 1969, que se pensa que representa a lenda do “el dorado” (o homem dourado). A lenda do El Dorado, a mítica cidade de ouro, tendo existido poderá ter sido em vários locais (México, Guianas, Colômbia ou Venezuela), mas há quem pense que a história comece na lagoa Guatavita, onde decorriam as cerimónias de coroação dos reis de Bacatá. O jovem era coberto de ouro e entrava na lagoa na sua jangada de juncos, enfeitada, e oferecia ouro e esmeraldas à deusa do lago, atirando-os à água. Sendo uma lenda, tem várias versões, e não se sabe qual a verdadeira. Já se tentou drenar o lago várias vezes. Em 1578, Antonio Sepulveda encontrou algum ouro e, em 1898, foi criada uma empresa para explorar o lago. O lago, depois de drenado, tornou impossível a exploração, pela quantidade de lama. Em 1965 o governo protegeu a lagoa para evitar novas tentativas. Há quem diga que a lenda começa na lagoa Siecha, perto da pirâmide del sol, onde foi encontrada uma peça em ouro que representa uma jangada redonda. O certo é que a história fez brilhar os olhos gananciosos de alguns conquistadores e se foi propagando pelos anos. Diversas expedições procuraram minas na esperança de encontrar a fonte de todo o ouro. É possível visitar Guatavita e sonhar com a cerimónia de coroação, imaginando o ouro no fundo da lagoa.

DSC_1882

Plazoleta del Rosário

Fica próximo do museu do ouro e da Universidade El Rosario. A universidade foi criada em 1653 e é privada. Encontram-se muitos homens na praça reunidos que vendem esmeraldas sem certificados. A praça em si não tem grande graça, sendo a atração principal a venda de esmeraldas.

Torre Colpatria

O arranha-céus mais alto do país, com 50 andares. No telhado existe um miradouro (mirante). A entrada custa 7.000COP (2€), de sexta a sábado.

La Macarena

Bairro a visitar, seja para jantar ou beber um copo. Bastante colorido, boémio, fazendo lembrar outros locais de vários países que já visitámos. Se querem conhecer um local da moda não podem perder.

É aqui que fica o Parque La Independencia, um dos mais antigos da cidade, criado para comemorar o centenário da independência. O planetário da cidade fica dentro do parque. O museu do planetário custa 10.200COP (3€) e o bilhete mais barato custa 5.100COP. Fecha à segunda e podem consultar o site para mais informações. A Plaza de Toros La Santamaria também fica no bairro. Tem cerca de 14000 lugares e abriu em 1931. Não é usada apenas como praça de touros, sendo também recinto de concertos. Também recinto de concertos, bailados e teatros é o Teatro Jorge Eliécer Gaitán, com a agenda divulgada todos os meses. O Museo Nacional também fica em La Macarena. É o museu que tem mais peso cultural e histórico do país. É um ótimo local para aprender sobre as comunidades pré-hispânicas, a história da independência e as caras que a fizeram. A entrada custa 4.000COP, fecha à segunda feira, e também podem consultar o site.

Para terminar de falar sobre o bairro, acabamos com o Mercado de Las Pulgas de San Alejo. Aos fins de semana é possível comprar de tudo. Recomenda-se ir de estômago vazio para comer comida de rua. Fica na Carrera Séptima, rua essa que fecha ao domingo a circulação automóvel e funciona como ciclovia das 7h às 14h.

Plaza de Mercado de Paloquemao

O típico mercado de cidade e destino ideal para turistas que querem conhecer a alma da cidade e comprar ingredientes frescos a bons preços para cozinhar.

La Candelaria

Este bairro é património histórico, tendo muitos edifícios coloniais e republicanos. É neste bairro que fica a sede do governo nacional e a residência do presidente. O Palacio Presidencial ou Casa de Nariño, residência oficial do presidente, pode ser visitada com marcação prévia através do site e há troca da guarda às segundas, quartas, quintas e domingos, às 16:30h. Deve-se visitar o Chorro de Quevado, praça onde os espanhóis montaram o primeiro quartel. Quando estávamos no free tour havia uma atividade do governo regional, com jovens a tocar e cantar.

Mas a atração principal é a Plaza Bolívar, onde a cidade foi fundada e Simón Bolívar foi recebido em 1919, após a vitória contra os espanhóis na Batalha de Boyacá. Como habitualmente, a praça começou por chamar-se Plaza Mayor (a influência de Espanha), mas depois da independência mudou-se o nome para Plaza de la Independencia, até que, em 1846, recebeu a estátua do Libertador e o nome atual. Continua a ser a praça escolhida para os eventos políticos e foi palco dos grandes acontecimentos que marcaram o país, como a independência de 1810 (a 20 de julho) e o Bogotazo, em 1948, após a morte de Gaitán.

GOPR9839Na praça temos o Palacio de la Justicia, o Capitolio Nacional, a Catedral Primada, a Casa de Cabildo Eclesiástico, a Capilla del Sagrario, o Palacio Arzobispal, o Palacio Liévano e o Colegio Mayor de San Bartolomé. Um pouco acima da praça fica o Teatro Colón e, em frente, a famosa janela do Palacio San Carlos, por onde Bolívar fugiu pela calada da noite, dizem que despido, para não ser assassinado, após alerta da sua amante.  DSC_1810A guia diz que este acontecimento terá marcado um decréscimo de popularidade de Simón. Durante a nossa paragem em frente ao teatro passámos a ter um estrangeiro que interagia imenso no free tour, fazendo perguntas e dando detalhes à explicação da guia, tendo explicado que conhecia alguns pormenores da história da cidade pelos livros de Garcia Marquez. Esse jovem é músico e, estando a ensaiar com a sua orquestra no teatro, aproveitou o intervalo para se infiltrar no nosso tour durante cerca de 15 minutos. A graça deste tipo de viagem é também isto, pessoas que surgem do nada e que de repente mudam toda a dinâmica do que estava a acontecer. Faltou-nos dizer que na praça vimos imensos militares, vestidos com uma espécie de armadura assustadora, que os deixa com ar de transformers. Deixou-nos impressionados a idade dos militares, alguns com ar de ainda estarem na adolescência. Não deixem de procurar a Iglesia de Nuestra Señora del Carmen, de estilo gótico, construída entre 1926 e 1938. Visitem também a Iglesia de la Candelaria, de 1686, parte do convento com o mesmo nome.

DSC_1801E, para terminar, visitem o Museo Botero e Casa de la Moneda. Fernando Botero, o mesmo que falámos em Medellín, doou no ano 2000 123 pinturas, desenhos e esculturas da sua autoria e de 85 de artistas internacionais, ao Banco de la Republica, obras que estão expostas neste museu de forma gratuita. Neste edifício funcionou o Arzobispado, desde 1733 até 1955. É um belo local para os apreciadores da obra de Botero, da sua criatividade, ironia e visão. O museu fecha à terça-feira. Na Casa de la Moneda é oferecida a todos os visitantes uma moeda. O free tour termina no Centro Cultural Gabriel Garcia Márquez. O espaço tem 9500m² e apresenta diversas atividades culturais grátis durante o ano. O centro foi criado para estreitar as relações com o México, país onde Gabriel se exilou após ser acusado de financiar as guerrilhas e ter  sido considerado inimigo do país. Não foi aceite nos EUA, por ser amigo de Fidel Castro, viveu e morreu no México, onde escreveu 100 Anos de Solidão.

Monserrate

Monserrate fica no cimo da cidade e, tal como a Torre Colpatria, permite uma vista panorâmica sobre a cidade, os seus edifícios e a densa floresta em redor. A subida pode ser feita de duas formas, de teleférico ou de funicular, e custa 9.500COP/percurso (2,8€).

DSC_1855

DSC_1868

Fomos para lá num autocarro qualquer, porque o que queríamos não aparecia, e uma pessoa atrás de nós, percebendo que estávamos a tentar perceber o trajeto pelo mapa do telemóvel, ajudou-nos a sair e indicou o caminho mais curto para o destino. Já vos dissemos que os colombianos são prestáveis? Chegámos a base do teleférico e funicular e decidimos almoçar primeiro. Este tempo “perdido” a almoçar deixou-nos limitados ao teleférico, porque o funicular só sobe até às 11:30h. A viagem é engraçada, deve-se tentar ir junto aos vidros ou não se vê nada toda a viagem. Em cima há uma igreja com um mercado e barraquinhas de comida. Fomos em hora de jogo da seleção, o que tornou o espaço um bocadinho deserto, até os polícias estavam refugiados na pequena esquadra em frente à TV. Vale a pena passar mais de uma hora no cimo de Monserrate. A vista é bonita, a viagem até cima é engraçada e fica barato.

DSC_1849

DSC_1818

Parque Metropolitano Simón Bolívar

Considerado o pulmão da cidade e o parque mais importante, com as suas ciclovias e caminhos pedonais. Foi o palco principal da visita do papa Paulo VI e a sua Praça de Eventos recebe vários festivais.

Catedral do Sal

Única e singular, feita apenas de sal, esta catedral é uma das atrações da cidade. Fica a 180 metros de profundidade, longe da agitação da vida diária. No espaço encontra-se o parque Temático de la Sal, o Museo de la Salmuera, o Muro de Escalada, a Ruta del Minero, é possível ver a película Nucuma em 3D e fazer visitas guiadas (ver no site). O preço é de 47.500COP (14€) e inclui a caminhada “Huellas de Sal”, a visita guiada, o show de luzes e a projeção 3D. Os bilhetes podem ser comprados online. Na cidade vendem-se vários tours, mas podem optar por ir de carro alugado, táxi (caro) ou autocarro, a opção mais barata. De autocarro deve-se ir na linha B74 para Portal Norte. Aí devem procurar os autocarros intermunicipais com o destino “Zipaquira” ou “Zipa”. Se pedirem ao motorista ele pára o mais perto possível e depois é só seguir a pé. Para regressar, o autocarro a partir do Portal Norte será J72, direção Museu del Oro.

Laguna Guatavita

Vejam novamente a descrição do museu do ouro para entender o fascínio de muitos turistas com esta lagoa.  Seguindo o mesmo percuro até ao Portal Norte da descrição acima, é só procurar um autocarro para “Guatavita”. Mais uma vez, devem pedir ao condutor para vos deixar no sítio mais próximo. Da paragem até à lagoa são 7 km de caminhada ou 60.000COP (18€) de táxi. A entrada custa 17.000COP (5€). Aproveitem para conhecer a pequena vila de Guatavita, mas a atração é, sem dúvida, a lagoa, por remeter ao El Dorado.

365 dias no mundo estiveram 4 dias em Bogotá, de 10 a 14 de Junho de 2017
Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥
Preços: barato
Categorias: cidade, cultura, arquitetura
Essencial: Catedral de Sal, Museo del Oro, Casa de la Moneda, Guatavita, La Candelaria,  La Macarena, Monserrate, Carrera 7, Plaza Bolivar, Museo Botero
Estadia Recomendada: 7 dias

Spread the love

Raquel

Gosto de viajar depressa ou devagar. Gosto de conhecer pessoas, de ouvir as suas histórias, de experimentar as comidas dos países que visito. Falo pelos cotovelos e tenho uma lista de sítios a conhecer que todos os anos duplica de tamanho. Não gosto de desporto, mas de vez em quando perco a cabeça e experimento algum novo.

2 thoughts on “O QUE FAZER EM BOGOTÁ (COLÔMBIA)

  1. Oi Betina, que bacana esse post!!! Voce sabe que tem esse passeio novo, que é super bacana para entender toda a história recente da Colômbia dos ultimos 80 anos: como era Bogotá antes, o impacto de Escobar sobre os clichês atuais, a história do conflito como as FARCs, o processo de paz, e, algo super original, tem historias sobre Heroes colombianos que merecem ser mais famosos do que o villano, … tudo isso com degustação de 8 sabores locais e frutas: https://heroestourbogota.com,
    Carla

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: