GUIA – SER ISLANDÊS NAS PISCINAS PÚBLICAS

Um bom nórdico gosta da sua sauna e da sua piscina termal, mas com regras. Na Islândia, qualquer cidade, vila ou povoação, tem uma piscina termal. Pode não existir mais nada de interessante, mas a piscina não vai faltar, porque faz parte da forma de viver de um islandês.

Para alguns islandeses, o dia começa na piscina. É ali que conversam sobre política antes de irem trabalhar. As crianças começam as aulas de natação cedo, ainda bebés. E também faz parte da rotina de algumas famílias brincarem com as crianças nas piscinas depois do jantar para se deitarem mais relaxadas. Para um islandês, não há clima que o afaste da “banheira” exterior, faça chuva, faça sol, ou mesmo quando está a nevar. Aliás, ele dirá que não há nada melhor do que ver a aurora boreal a partir de uma piscina, enquanto relaxa.

Além de todo este ritual que conseguimos compreender e apreciar, há um complemento não tão consensual (para nós). Muitos islandeses saem da piscina de água quente (entre os 35º e os 42º) ou da sauna e saltam diretamente para o interior do tanque de água fria (entre os 5º e os 8º). Caso para dizer, não tentem isto em casa!

Se a vida na Islândia gira em torno das piscinas municipais, têm de existir regras, e TODOS têm de cumprir. Se um estrangeiro não seguir estas regras à risca, vai ouvir um islandês muito chateado a discutir consigo.

C:DCIM107GOPROGOPR2048.GPR

Regras:

  1. Não se entra no vestiário com os sapatos (primeira coisa a tirar); no máximo, podem ser levados até ao armário, dentro de um saco de plástico. Aliás, os sapatos costumam “ficar à porta” em muitos sítios.
  2. A roupa deve ser retirada a seguir, na zona dos cacifos (zona seca), onde a devem guardar.
  3. Vai-se nu, com o fato de banho na mão, toalha – não esquecer, já vos explicamos – e champô, até à zona de chuveiros (a maioria das piscinas tem champô e gel de banho na zona dos chuveiros).
  4. O champô e a toalha são guardados num espaço para o efeito.
  5. Lavar-se antes de entrar. E aqui o lavar-se é mesmo esfregar-se, incluindo cabelo, com sabão ou champô, durante alguns minutos. Há placas nos vestiários que vos mostram de forma explícita esta regra, incluindo que zonas se devem lavar mais minuciosamente. O fato de banho é vestido aqui.
  6. Se precisar de algo que ficou no armário, não volte molhado para ir buscar. Molhar o chão deixa os islandeses chateados. Seque os pés ou peça ajuda. Só volte para os vestiários seco.
  7. Não é preciso levar a toalha e acessórios para a piscina, nem chinelos. Telemóveis e câmaras são expressamente proibidos nos vestiários.
  8. Faz parte das regras óbvias, mas nós já vimos noutros países desrespeitar esta, não pensar em urinar na piscina ou banheira.
  9. Tomar novamente banho ao sair da piscina.
  10. Secar-se completamente antes de passar para o vestiário.
  11. Não se calce no vestiário.
DCIM107GOPROGOPR1924.JPG

Conselhos:

  • Faça amigos;
  • Coma um gelado “Bragðarefur” (900-1.200ISK);
  • Experimente várias piscinas (na capital, por exemplo, cada bairro tem a sua, e todas muito mais baratas do que a Lagoa Azul);
  • Geralmente há secadores de fatos de banho;
  • Preço – Geralmente 900 a 1.000 ISK. Veja neste site a lista nacional de piscinas. Há cidades com piscinas grátis;
DSC_7085
A vista duma piscina gratuita nos Westfjords

365 dias no mundo estiveram na Islândia de 23 de outubro a 7 de novembro de 2019

Este artigo pode conter links afiliados.

ser islandês
Spread the love

Raquel

Gosto de viajar depressa ou devagar. Gosto de conhecer pessoas, de ouvir as suas histórias, de experimentar as comidas dos países que visito. Falo pelos cotovelos e tenho uma lista de sítios a conhecer que todos os anos duplica de tamanho. Não gosto de desporto, mas de vez em quando perco a cabeça e experimento algum novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: